sábado, 23 de fevereiro de 2019

Manuel Chang



Manuel Chang poderá ser extraditado da África do Sul para Moçambique e não para os Estados Unidos da América, conforme disse a Ministra das Relações Internacionais e Cooperação.

Entretanto, a medida carece ainda de uma decisão final, conforme a Ministra sul-africana da justiça. O antigo ministro das Finanças, Manuel Chang, poderá ser extraditado pela África do Sul para Moçambique e não para os Estados Unidos da América para enfrentar grandes acusações de corrupção. Em entrevista ao Daily Maverick, um jornal sul-africano, a ministra de Relações Internacionais e Cooperação, Lindiwe Sisulu, disse que seu governo aceitou o pedido de Maputo para extraditar Manuel Chang para Moçambique. Embora a África do Sul o tenha detido a pedido de Washington, através da Interpol, Moçambique queria que ele voltasse a ser acusado. Sisulu acrescentou ainda que o Departamento de Justiça estava agora estabelecendo se haveria um confronto entre os EUA e Moçambique, sobre seus pedidos de extradição. Mas ela também estava convencida de que é mais seguro aderir ao pedido de Moçambique. Entretanto, a Miramar apurou que a ministra Sisulu não teria sido informada sobre a lei actual que estabelece que a decisão final é do Ministro da Justiça e não dela. Por outro lado, há ainda espaço para o caso subir para o tribunal constitucional. Manuel Chang está numa prisão na África do Sul aguardando a decisão das autoridades sul-africanas de extraditá-lo para os EUA ou para Moçambique, para ser julgado no caso das dívidas escondidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário